Ginástica laboral no home office: como a empresa pode estimular a prática?

Ginástica laboral no home office: como a empresa pode estimular a prática?

A ginástica laboral consiste em uma série de exercícios físicos que são realizados no ambiente de trabalho. 

O objetivo dessa prática é proporcionar bem-estar e qualidade de vida para os profissionais, bem como para evitar uma série de doenças que podem ser causadas por conta da função exercida.

Mas se esse tipo de ginástica é feito no local de trabalho, como realizá-la quando os colaboradores estão em home office?

Essa é uma questão que precisa ser resolvida por muitos gestores, especialmente considerando que várias empresas manterão o formato de trabalho remoto mesmo agora que a pandemia está mais branda e que as medidas restritivas de circulação de pessoas estão diminuindo.

É válido destacar que, quando estão trabalhando presencialmente, os funcionários tendem a andar mais, sair mais vezes do seu posto de trabalho para ir a outros setores para realizar tarefas ou conversar com colegas, almoçar etc. 

Já em casa, situações como essas não acontecem. Além disso, nem todo mundo dispõe de um lugar estruturalmente adequado para realizar suas atividades.

Por exemplo, muitas pessoas acabam trabalhando do sofá da sala, com o notebook apoiado de maneira inadequada, ou ainda usando a mesa de refeições para isso, a qual tem cadeiras nada anatômicas.

Passar o dia trabalhando dessa forma afeta negativamente o corpo e tende a resultar em queda na produtividade.

Logo no primeiro ano de pandemia, em 2020, um levantamento realizado pelo Centro de Estudos em Planejamento e Gestão de Saúde da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com o Institute of Employment Studies (IES) do Reino Unido, divulgado parcialmente no site Extra — O Globo, mostrou que as dores físicas do home office afetam a saúde mental dos profissionais.

Segundo o estudo, dores de cabeça, na coluna e fadiga, decorrentes da prestação de serviço remota, estão diretamente relacionados a baixos índices de bem-estar e saúde mental.

Desconforto e/ou dores na região das costas, ombros e pescoço, além de fadiga ocular, enxaquecas e cefaleias foram alguns dos problemas físicos citados pelos entrevistados por estarem trabalhando home office.

A fim de evitar isso e resultados negativos para a vida e a saúde do colaborador, e para os resultados da empresa, é essencial que a ginástica laboral seja adotada, mesmo a distância.

Confira, neste artigo, como fazer isso e proporcionar mais qualidade de vida para os seus times.

O que é ginástica laboral?

O que é ginástica laboral?

A ginástica laboral pode ser definida como exercícios físicos realizados no ambiente de trabalho com o propósito de gerar mais bem-estar, conforto e saúde para os profissionais.

Existem diferentes tipos de ginástica laboral, tais como:

  • ginástica preventiva;
  • ginástica corretiva;
  • ginástica preparatória;
  • ginástica compensatória;
  • ginástica de relaxamento.

Ginástica preventiva

Como o próprio nome sugere, a ginástica preventiva é aquela que visa prevenir problemas de saúde que podem surgir devido às atividades laborais exercidas.

As ginásticas desse tipo ajudam a:

  • melhorar a consciência corporal;
  • aumentar a coordenação motora e a resistência física;
  • melhorar o condicionamento físico;
  • aumentar a flexibilidade;
  • melhorar o sistema respiratório, cardíaco e esquelético.

Ginástica corretiva

A ginástica corretiva, por sua vez, tem por objetivo promover a correção dos efeitos que as tarefas realizadas durante o trabalho podem causar nos colaboradores.

Os exercícios voltados para essa finalidade contribuem com:

  • reduzir as dores e os problemas nas articulações;
  • prevenir o desenvolvimento de doenças ocupacionais;
  • fortalecer as estruturas musculares que mais são utilizadas para a execução da função de trabalho.

Ginástica preparatória

Na ginástica preparatória, a proposta é realizar uma série de exercícios logo no início da jornada, a fim de preparar o corpo do profissional para as tarefas que realizará.

Essa prática ajuda a:

  • alongar a musculatura;
  • despertar a mente;
  • elevar o nível de concentração e de disposição;
  • aumentar a circulação sanguínea.

Ginástica compensatória

A ideia da ginástica compensatória é fazer uma pequena série de exercícios físicos durante o expediente. Seu objetivo é interromper a monotonia e chamar a atenção dos profissionais para a postura que adotou até aquele momento, corrigindo-a, se necessário.

A ginástica compensatória colabora para:

  • trazer disposição para o restante da jornada de trabalho;
  • alongar e reparar a musculatura;
  • compensar esforços e movimentos repetitivos.

Ginástica de relaxamento

Por fim, a ginástica de relaxamento é aquela indicada para ser realizada no final do expediente. O objetivo é colaborar para que o funcionário “se desligue” da função exercida até o momento e volte para a sua vida particular sem levar resíduos do seu dia de trabalho.

Além disso, esse tipo de ginástica laboral contribui para:

  • diminuir os níveis de estresse;
  • reduzir o esgotamento sentido ao final do dia;
  • trazer sensação de bem-estar e vigor;
  • prevenir lesões musculares.

Qual a importância da ginástica laboral para empresas e trabalhadores?

Qual a importância da ginástica laboral para empresas e trabalhadores?

A ginástica laboral, independentemente do tipo, traz vantagens tanto para a empresa quanto para os seus empregados.

Entre os benefícios da ginástica laboral que mais se destacam estão:

  • prevenção a doenças ocupacionais, tais como LER/DORT;
  • redução dos níveis de estresse, o que também colabora para evitar problemas como ansiedade e depressão;
  • melhora na postura dos trabalhadores;
  • diminuição das dores física e musculares;
  • melhora dos sistemas cardíacos e respiratório;
  • diminuição da sensação de esgotamento e fadiga ao final do expediente;
  • aprimoramento da consciência corporal.

Essas vantagens referem-se apenas à condição física dos profissionais. Porém, é bem importante destacarmos também que a prática da ginástica laboral tende a gerar pontos positivos no relacionamento entre os colaboradores, e no seu bem-estar e qualidade de vida desses fora do ambiente de trabalho.

Para a empresa, há o aumento da produtividade, visto que profissionais mais saudáveis, dispostos e felizes costumam trabalhar mais e melhor. Isso reflete nos resultados entregues e no relacionamento com os clientes.

Por fim, não se pode deixar de destacar que prevenir doenças ocupacionais diminui o número de afastamentos médicos, o que também reduz despesas extras para o negócio e, em casos mais extremos, até ajuda a evitar processos trabalhistas decorrentes do desenvolvimento de doenças no local de trabalho.

Qual o papel da empresa no bem-estar dos profissionais que estão em home office?

A questão é que, como dissemos logo no início deste artigo, implementar a ginástica laboral quando os profissionais estão trabalhando presencialmente é muito mais fácil, mas como fazer isso quando eles estão atuando remotamente?

Ainda que não estejam fisicamente no local de trabalho, cabe à empresa zelar pela saúde, bem-estar e pela qualidade de vida dos seus funcionários durante o exercício de suas funções profissionais. 

Para isso, os gestores, em parceria com o Recursos Humanos (RH) e com a Medicina do Trabalho devem adotar medidas que ajudem a chegar a esse objetivo.

Um bom exemplo é promover sessões online de ginástica laboral. Por meio de uma reunião por vídeo, a empresa pode designar um profissional especializado para ministrar exercícios desse tipo e, assim, orientar e acompanhar na execução dessas práticas os trabalhadores que estão atuando nas suas casas.

Para os negócios que estão adotando o formato híbrido, ou seja, mesclando entre dias trabalhados home office e dias trabalhados presencialmente, uma possibilidade é aproveitar os momentos que os profissionais estão no local de trabalho para aplicar a ginástica laboral.

É certo que, o ideal, seria que a prática desses exercícios acontecesse diariamente. Porém, é possível realizar a ginástica laboral com os trabalhadores alguns dias da semana e incentivá-los a continuar com a prática quando estiverem remotos.

Quais são os exercícios indicados para quem está trabalhando home office?

Quais são os exercícios indicados para quem está trabalhando home office?

De modo geral, quem trabalha home office exerce atividades administrativas. Por conta disso, a tendência é passar muitas horas em frente ao computador.

A fim evitar o desenvolvimento de doenças do trabalho decorrentes de esforços repetitivos, como LER e DORT, e problemas posturais que aumentam as chances de dores nas costas e nas articulações, alguns exercícios que podem ser sugeridos para que os profissionais que estão remoto façam são:

  • alongamento para os membros superiores;
  • alongamento para os membros inferiores;
  • liberação dos ombros;
  • exercícios de respiração.

Alongamento para os membros superiores

Os exercícios de alongamento ajudam a melhorar a musculatura, a postura e reduzem as dores que geralmente surgem quando uma pessoa fica muito tempo na mesma posição.

Um deles é o alongamento com as mãos entrelaçadas, que trabalha os músculos dos membros superiores, ombros e costas.

Para executá-lo, o profissional precisa se levantar, afastar as pernas e posicionar os pés na mesma largura dos quadris. 

Em seguida, deve entrelaçar as mãos, encaixar os dedos uns nos outros, virar a palma das mãos para fora, inspirar e, ao mesmo tempo, levantar os braços esticados acima da cabeça.

Durante alguns segundos ele deve esticar os braços em direção ao teto para, depois, soltar as mãos e descer os braços lateralmente enquanto expira.

Alongamento para os membros inferiores

Já para os membros inferiores, o profissional deve ficar em pé com o corpo lateralizado paralelo a uma parede. Com uma das mãos ele se apoia nela e, com a outra, segura o pé trazendo-o o máximo possível para trás, em direção à região dos glúteos.

Ele deve permanecer nessa posição por alguns segundos (de 15 a 30, por exemplo), período no qual sentirá os músculos do membro inferior alongar. Em seguida, deve repetir o processo com a outra perna.

Liberação dos ombros

Os ombros acabam sofrendo grande pressão durante o dia, especialmente para quem trabalha muito tempo sentado na frente de um computador. Por isso, essa região tende a ficar endurecida e dolorida.

Um exercício de ginástica laboral que pode ajudar a resolver esse problema é se posicionar corretamente na cadeira, deixar os braços retos, para baixo, ao longo do corpo e “desenhar” círculos com os outros, ora para frente, ora para trás.

Se quiser abranger também a região do pescoço, pode aproveitar a mesma posição, levar a mão esquerda sobre a cabeça e tocar na orelha direita, puxar levemente a cabeça na direção do ombro esquerdo, e repetir o processo para o outro lado.

Exercícios de respiração

Cuidar da respiração ajuda bastante para elevar a sensação de bem-estar e reduzir quadros de estresse e ansiedade.

O ideal é que o trabalhador se atente à sua respiração durante todo o dia. Porém, ele pode (e deve) reservar alguns minutos para praticar um exercício físico específico para isso.

Sentado confortavelmente e de olhos fechados, o profissional deve fazer uma série de cinco inspirações e expirações conscientes, ou seja, prestando atenção na entrada e na saída de ar no seu corpo.

Para tornar mais efetivo esse exercício da ginástica laboral, uma dica é contar até quatro enquanto inspira, segurar o ar pelo mesmo tempo, e expirar contando novamente até quatro.

Como estimular a prática da ginástica laboral no trabalho remoto?

Apresentar a ginástica laboral para os colaboradores, e quais exercícios físicos devem ser feitos, pode até ser uma tarefa simples. O problema é, no caso dos que estão em home office, como fazer esse acompanhamento?

Em uma parceria entre RH, Medicina do Trabalho e gestores, pode-se criar campanhas de conscientização sobre a importância do cuidado com o corpo e com a mente durante a realização das funções de trabalho.

Conversas online com profissionais da área de saúde, materiais como vídeos, e-books, compartilhamento de reportagens, entre outros similares, tendem a contribuir com esse processo.

Ainda que a prática da ginástica laboral não seja obrigatória por lei, ela ajuda a prevenir uma série de doenças do trabalho e, com isso, promover mais saúde e qualidade de vida aos trabalhadores.

E, como já mencionamos, a empresa ganha em produtividade, melhoria nos serviços prestados, reduz custos decorrentes de afastamentos médicos e, consequentemente, tende a aumentar o seu faturamento.

Uma maneira de conseguir implementar os exercícios físicos laborais no seu negócio é contratar uma empresa especializada nesse tipo de serviço.

Para saber como fazer isso, leia agora mesmo o artigo: “Empresa de ginástica laboral: vale a pena contratar?

Gostou do texto?

Deixe seu email e enviaremos todas as semanas novidades para você!

Confira também

IMPORTANTE: Devido ao grande número de perguntas similares no blog, estamos selecionando as melhores para responder. Sendo assim, sugerimos que você busque a resposta para a sua dúvida nos comentários antes de enviar sua pergunta. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba no seu email tudo sobre segurança no trabalho! Não enviaremos spam!