Ginástica laboral corretiva: o que é e como funciona?

Ginástica laboral corretiva: o que é e como funciona?

Na busca pela promoção do bem-estar, saúde e qualidade de vida dos funcionários, uma das práticas que a sua empresa pode — e deve — adotar é a ginástica laboral corretiva.

A ginástica laboral corretiva é um tipo de ginástica laboral que tem como foco reduzir o estresse muscular e as consequências negativas que algumas atividades de trabalho podem causar no corpo do colaborador.

A sua prática ajuda a diminuir dores e desconfortos musculares por meio de exercícios de alongamento dos membros superiores, inferiores e da região lombar, por isso, está totalmente relacionada às questões ergonômicas.

Sobre esse assunto, é fundamental que os gestores tenham em mente que a ausência de cuidados com a ergonomia afeta a vida do trabalhador tanto dentro quanto fora do ambiente de trabalho — doenças como LER e Dort impactam negativamente a saúde dos funcionários em casa e na empresa, assim como a sua produtividade.

Dados divulgados pelo Governo Federal apontam que, apenas no ano de 2019, quase 39 mil profissionais foram afastados das suas funções de trabalho devido a patologias desse tipo.

Para o colaborador, as consequências podem ser dores, dificuldade de realizar determinados movimentos e, dependendo do quadro apresentado, perda parcial ou até total da funcionalidade.

Já para as empresas, isso pode resultar em uma série de prejuízos financeiros e de custos extras, tais como os gerados por afastamentos médicos, necessidade de pagar hora extra para os funcionários que precisam cobrir as ausências, processos trabalhistas, entre outros.

A fim de evitar que isso aconteça também no seu negócio, neste artigo você vai conferir o que é a ginástica laboral corretiva, como ela funciona, quais são os seus benefícios, quanto impacta nos resultados da sua companhia e como oferecer esse serviço aos seus funcionários.

Por isso, continue a leitura e fique por dentro de tudo sobre esse tema.

O que é ginástica laboral?

O que é ginástica laboral?

A ginástica laboral consiste em exercícios físicos rápidos, realizados no próprio ambiente de trabalho, que tem por objetivo amenizar o estresse diário e a pressão física sobre o corpo dos colaboradores.

Sua prática ajuda a reduzir dores e a diminuir a inércia que muitos profissionais apresentam durante o dia por conta da atividade que exercem, por exemplo, muito tempo em pé, ou muito tempo sentado.

A ginástica laboral está em conformidade e atende aos requisitos apresentados na NR 17, norma reguladora que trata especificamente das questões ergonômicas que devem ser atendidas pelas empresas.

Entre os diversos benefícios gerados pela ginástica laboral estão:

  • correção da postura dos profissionais;
  • fortalecimento muscular;
  • redução das dores musculares;
  • aumento da disposição física;
  • melhora da função cardiorrespiratória.

Tipos de ginástica laboral

É importante também que você saiba que a ginástica laboral corretiva é apenas um dos tipos que podem ser implementados na sua empresa.

As outras categorias de ginástica laboral são:

  • ginástica laboral preparatória;
  • ginástica laboral compensatória;
  • ginástica laboral de relaxamento.

Ginástica laboral preparatória

Além do uso dos EPIs de segurança, há outra boa prática que pode garantir mais segurança e qualidade de vida aos funcionários da sua empresa, que é a ginástica laboral preparatória.

Consiste em uma série de exercícios físicos que, como o próprio nome sugere, tem por objetivo preparar o profissional para as suas atividades de trabalho.

Durante 10 a 12 minutos são realizados movimentos que promovem o aquecimento dos músculos, a fim de fortalecê-los e de melhorar a flexibilidade e a resistência.

Ginástica laboral compensatória

Já a ginástica laboral compensatória é realizada no meio da jornada de trabalho. A ideia é que ela alivie o cansaço característico, bem como as dores que podem surgir durante o dia.

Para isso, são aplicados exercícios de alongamento, que podem variar de 10 a 20 minutos, que ajudam a melhorar a postura, aliviar o estresse e a tensão muscular do profissional.

Ginástica laboral de relaxamento

A ginástica laboral de relaxamento, por sua vez, é indicada para o fim do dia de trabalho. O ideal é que ela seja realizada entre 10 a 20 minutos antes do fim do expediente, e tem por objetivo “desacelerar” o funcionário e reduzir a tensão sofrida durante o dia.

Nesse tipo de ginástica, também são utilizados exercícios de relaxamento, mas também cabe a oferta de massagens, atividades de meditação e de respiração. 

Essa atividade ajuda não apenas na questão física, mas também no fortalecimento dos relacionamentos entre os funcionários, amenizando possíveis desentendimentos, e evitando que levem essas questões para os seus lares, o que pode comprometer a dinâmica familiar.

O que é ginástica laboral corretiva?

O que é ginástica laboral corretiva?

A ginástica laboral corretiva é mais um tipo que pode ser oferecido pela sua empresa. Como explicamos anteriormente, consiste em exercícios físicos voltados para melhorar as funções ergonômicas dos colaboradores.

A principal proposta dessa atividade é minimizar o impacto que as atividades de trabalho podem causar no corpo dos profissionais, reduzindo dores e até evitando possíveis lesões.

Isso quer dizer que, na prática, a ginástica laboral corretiva serve como um ponto de equilíbrio contra os efeitos negativos corporais que algumas atividades de trabalho podem causar.

A ideia é promover mais saúde, bem-estar e qualidade de vida para os funcionários, evitando o desenvolvimento de doenças do trabalho, como LER e Dort, afastamentos médicos, e consequências em sua vida pessoal e profissional, como a queda da produtividade.

Como funciona a ginástica laboral corretiva?

A ginástica laboral corretiva funciona com base em exercícios físicos que alongam e fortalecem os músculos. 

Como resultado, se consegue diminuir a tensão muscular do profissional, aumentar a sua resistência e corrigir problemas posturais, muitos desencadeados pelo exercício das funções de trabalho.

O indicado é que essa prática dure entre 10 a 20 minutos e que trabalhe os braços, as pernas e a região lombar. 

Para que essa prática gera mais benefícios, os exercícios a serem executados devem ser compatíveis com o perfil do colaborador e com o trabalho que exerce.

Isso porque cada movimento deve compensar um esforço muscular feito em excesso, bem como “acordar” músculos que não são tão utilizados durante as tarefas.

Por isso, a ginástica laboral corretiva não deve ser a mesma para toda a empresa. Cada setor, cargo e grupo de funcionários deve ter o seu conjunto específico de exercícios e atividades a serem executados.

Quais são os benefícios?

A ginástica laboral corretiva traz uma série de vantagens, tanto para a empresa quanto para os colaboradores.

Entre os que mais se destacam estão:

  • prevenção do desenvolvimento de doenças do trabalho;
  • diminuição do número de faltas e afastamentos médicos;
  • diminuição do número de acidentes de trabalho;
  • redução do sedentarismo;
  • melhora do clima organizacional;
  • aumento da produtividade;
  • melhora da qualidade de vida dentro e fora do ambiente de trabalho.

Prevenção do desenvolvimento de doenças do trabalho

Considerando que a ginástica laboral corretiva trabalha os músculos e ajuda a corrigir a postura dos profissionais, a sua prática tem grande potencial para ajudar a prevenir doenças do trabalho, especialmente as ergonômicas, como LER e Dort.

Diminuição do número de faltas e afastamentos médicos

Como dissemos no início deste artigo, o número de trabalhadores afastados por problemas de saúde decorrentes de doenças geradas por movimentos repetitivos é alto.

No entanto, quando a empresa adota medidas para evitar esse quadro, como é o caso da ginástica laboral corretiva, esse percentual de afastamentos tende a diminuir, ou até deixar de existir.

Além de promover o bem-estar dos funcionários, isso evita para a empresa uma série de transtornos operacionais e financeiros decorrentes dessas ausências.

Diminuição do número de acidentes de trabalho

Seguindo a mesma linha de raciocínio, podemos dizer também que esse tipo de ginástica ajuda a diminuir o número de acidentes de trabalho.

Por exemplo, um funcionário com dor pode facilmente se desconcentrar durante a sua tarefa e provocar um acidente com ele ou com um colega de trabalho. 

Outra causa pode ser a falta de força muscular, que pode levar o profissional a perder a destreza manual ou o equilíbrio, e também resultar no mesmo problema.

Por outro lado, a ginástica laboral corretiva trabalha os músculos e a postura dos trabalhadores, condição que contribui muito para evitar situações como as que usamos exemplificamos agora.

Redução do sedentarismo

Ao trazer os exercícios físicos para dentro da sua empresa, você pode colaborar para que os seus funcionários entendam, de forma prática, quanto esse tipo de atividade é benéfica para a saúde.

Isso pode incentivar muitos a buscarem outros exercícios, além dos oferecidos no ambiente de trabalho, saindo, assim, do sedentarismo, e ganhando muito mais qualidade de vida.

Melhora do clima organizacional

A interação que as atividades físicas promovem também ajudam a melhorar o clima organizacional. 

Ainda que a ginástica laboral corretiva seja realizada em poucos minutos, é um bom momento para desacelerar o ritmo de trabalho, diminuir o estresse dos profissionais, e para promover um momento de integração e aproximação.

Aumento da produtividade

Como consequência de todas as vantagens que citamos até aqui, bem como pela diminuição do nível de dor e de desconforto durante a execução do trabalho, é esperado que haja um aumento da produtividade.

Esse benefício melhora os resultados gerais da empresa, incluindo a dinâmica de serviço e o relacionamento com os clientes da companhia.

Melhora da qualidade de vida dentro e fora do ambiente de trabalho

Por fim, mas tão importante quanto as outras vantagens, é essencial destacar que a ginástica laboral corretiva melhora a vida dos profissionais dentro e fora do ambiente de trabalho.

Quanto a isso, é preciso entender que as dores e problemas de saúde decorrentes de atividades laborais não ficam apenas dentro da empresa. 

No seu dia a dia, mesmo que esteja em casa, os funcionários sentem o reflexo, e isso compromete a sua rotina e pode afetar até os seus relacionamentos familiares e de amizade. 

Vale a pena aplicar na sua empresa?

Vale a pena aplicar na sua empresa?

Com base em tudo o que foi apontado até agora fica claro que, sim, vale a pena aplicar a ginástica laboral corretiva na sua empresa, bem como os demais tipos de ginásticas do trabalho que apresentamos.

Do ponto de vista empresarial, esses cuidados evitam uma série de transtornos, tais como ter que remanejar a equipe devido ao afastamento médico de um ou mais profissionais.

Uma situação como essa pode gerar diversos outros problemas, como a sobrecarga de trabalho de quem permaneceu atuando. Isso, por sua vez, tende a desencadear outras questões de saúde, a exemplo de quadros de estresse.

Financeiramente falando, as doenças do trabalho podem elevar os gastos do negócio, como com a necessidade de pagar horas extras para quem está suprindo as ausências. 

Em casos mais graves e, dependendo da condição de saúde do trabalhador, pode até resultar em processo trabalhistas e no pagamento de indenizações. 

Como a ginástica laboral corretiva pode afetar os resultados do seu negócio?

A ginástica laboral corretiva pode afetar os resultados do seu negócio de inúmeras formas. Positivamente falando, ajuda a:

  • aumentar a produtividade e o engajamento dos profissionais;
  • melhorar a qualidade do que é entregue aos clientes;
  • melhor a imagem da marca no seu mercado de atuação;
  • atrair e reter talentos.

Negativamente, negligenciar esse cuidado pode resultar nos pontos que citamos anteriormente, como o aumento no número de afastamentos médicos, e em outros como:

  • queda da produtividade;
  • gastos extras decorrentes das ausências por doença do trabalho;
  • aumento do nível de insatisfação dos funcionários.

Como encontrar um bom fornecedor para esse tipo de atividade?

A ginástica laboral corretiva deve ser orientada e aplicada por um profissional da área de saúde. 

Relembrando um ponto que citamos, os exercícios para essa finalidade precisam ser direcionados e específicos para cada cargo. Por esse motivo, a elaboração de qual movimento será realizado deve ser muito bem pensado e estudado.

A nossa dica é procurar uma clínica especializada em saúde ocupacional para orientar você sobre essa atividade.

O artigo “Clínica de medicina ocupacional: como encontrar a melhor alternativa?” vai ajudar você a escolher a melhor para a sua empresa!

Gostou do texto?

Deixe seu email e enviaremos todas as semanas novidades para você!

Confira também

IMPORTANTE: Devido ao grande número de perguntas similares no blog, estamos selecionando as melhores para responder. Sendo assim, sugerimos que você busque a resposta para a sua dúvida nos comentários antes de enviar sua pergunta. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba no seu email tudo sobre segurança no trabalho! Não enviaremos spam!