Absenteísmo e medicina do trabalho: entenda a relação

Absenteísmo e medicina do trabalho: entenda a relação

Seja voluntariamente ou por motivo de doença, a alta taxa de descontinuação no trabalho pode comprometer a produtividade, uma vez que as equipes estarão incompletas. Nesse sentido, o absenteísmo representa a ausência dos funcionários no ambiente de trabalho, independente do fator determinante para sua falta ou atraso.

Enquanto isso, a medicina do trabalho é o conjunto de ações voltadas para garantir a qualidade de vida e a segurança do funcionário e, embora pareçam conceitos distantes, esses dois elementos estão diretamente relacionados. Ao conhecer o impacto dessa correlação, por exemplo, é possível otimizar os resultados organizacionais, bem como transformar o ambiente corporativo.

Pensando nisso, explicaremos a seguir a relação entre o absenteísmo e a medicina no trabalho, os prejuízos ao se ignorar este importante indicador, os benefícios de sua redução, além das medidas que podem ser adotadas para reduzir de fato as faltas e atrasos no trabalho. Boa leitura!

Qual é a relação entre absenteísmo e medicina do trabalho?

A inassiduidade no trabalho pode acontecer por uma série de motivos. Em linhas gerais, um funcionário que tem grande índice de faltas pode estar desmotivado ou até mesmo considerando o ambiente inadequado. Além disso, o afastamento das atividades pode ter relação direta com problemas de saúde, sejam eles de origem física ou mental.

Em outras palavras, as doenças ocupacionais podem, entre outros, ser responsáveis por fazer com que alguns colaboradores deixem de exercer seu papel corretamente. Por isso, a medicina no trabalho é tão importante. Suas práticas e ações têm por objetivo proteger e promover o bem-estar dos colaboradores. Ou seja, evitar que a desmotivação no trabalho, aliada ao surgimento de doenças, enfraqueça os objetivos das organizações.

Portanto, essa é a única forma de agir ativa e preventivamente contra as faltas, especialmente aquelas ligadas à saúde. Caso contrário, as chances da taxa de ausência disparar podem aumentar consideravelmente. Assim, até que haja uma atuação efetiva nesse sentido, não será possível controlar os efeitos resultantes.

Quais são os prejuízos ao ignorar o absenteísmo?

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE), 14 milhões de pessoas faltaram ao trabalho em 2013 por motivos de saúde. Isso demonstra que grande parte da força economicamente ativa precisa se ausentar, em algum momento, por quadros ligados ao corpo ou à mente.

Diante disso, os prejuízos gerados são inevitáveis, pois existe a perda na capacidade produtiva da equipe, já que menos gente estará trabalhando. Eventualmente, isso pode até contribuir para a sobrecarga de quem comparece ao seu cargo. Portanto, não é apenas algo que diminui a motivação, como ficam também maiores as chances de surgirem novas doenças ligadas ao trabalho.

Outro aspecto importante está relacionado com os custos. Existem despesas com horas extras, funcionários temporários e/ou com a previdência. Assim, a empresa perde duplamente: ela se torna menos produtiva e a equipe fica mais cara, comprometendo os resultados. Tudo isso culmina na diminuição de competitividade, especialmente se os concorrentes tiverem uma preocupação efetiva em baixar esse índice.

Por que investir em medicina do trabalho?

Recorrer à medicina do trabalho pode, entre outros, ser uma saída para lidar com os altos índices de absenteísmo. O papel deste departamento é de não somente reduzir essas taxas, mas também de ajudar na diminuição da ocorrência de problemas futuros. Esse, inclusive, é o primeiro de muitos benefícios de empregar os planos de ações para promover a saúde e o bem-estar dos funcionários.

Com menos faltas, atrasos e dispensas antes do horário, a equipe consegue produzir mais e com melhor qualidade. Além disso, a preocupação com a saúde contribui para que as Normas Regulamentadoras sejam cumpridas. Outro ponto importante é que há um aumento significativo na motivação e no engajamento dos colaboradores, bem como a melhoria acentuada no clima organizacional.

Diante desse tipo de investimento, não tão raro, as medidas empregadas podem contribuir para redução de custos, melhorar o gerenciamento das equipes e, consequentemente, ajudar para que a empresa se mantenha competitiva. Afinal, a condição e o ambiente de trabalho são fatores que influenciam fortemente no desempenho dos funcionários que, insatisfeitos, podem produzir menos no dia a dia.

Quais são os benefícios da redução do absenteísmo?

Com o desfalque na mão de obra, os resultados de qualquer organização podem sofrer grandes impactos negativos em sua produtividade. Por conta disso, a elaboração de planos de ações para diminuir o índice de faltas no trabalho se torna um passo imprescindível. Por isso, separamos algumas das principais vantagens de se buscar a redução deste indicador. Confira a seguir.

Diminui o número de faltas

Investir na medicina do trabalho como forma de dirimir o absenteísmo é uma excelente alternativa, especialmente quando questões médicas são as raízes do problema. Nesse sentido, criar programas de promoção à saúde do trabalhador pode diminuir o número de faltas, reduzir os atrasos e evitar a necessidade recorrente de dispensa antes do término do turno de trabalho.

Ações como incentivar a prática de exercícios físicos e adotar hábitos alimentares mais saudáveis podem impactar diretamente na qualidade de vida dos trabalhadores. Vale lembrar que oferecer um ambiente com menos problemas — tanto no aspecto físico, como psicológico e social —, permite que os colaboradores desempenhem suas funções com mais vigor e disposição.

Aumenta a produtividade

Sabe-se que um ambiente de trabalho saudável oferece menos riscos à saúde e ajuda a evitar muitos acidentes. Ou seja, com menos oportunidade de condutas inadequadas como o tabagismo, o consumo excessivo de álcool, o uso de drogas e o sedentarismo, o trabalhador pode melhorar sua produtividade e, ao mesmo tempo, reduzir as taxas de absenteísmo.

Além das questões de saúde, a redução de conflitos entre os colaboradores pode contribuir em muito com o aumento da produtividade. Um clima organizacional inadequado, repleto de conflitos internos, pode provocar a desmotivação do trabalhador, afetando sua produtividade e, consequentemente, contribuindo para o aumento do absenteísmo.

Melhora a qualidade do serviço

A criação de programas de redução das faltas dos trabalhadores é fundamental para o bom desempenho dos funcionários e, consequentemente, para o crescimento da empresa. Assim, investir nesse tipo de ação permite uma melhora significativa na qualidade do serviço prestado pelo colaborador, uma vez que este recebe apoio para o desenvolvimento de suas atividades por parte dos seus superiores.

Gera mais lucro para a empresa

A partir da diminuição da rotatividade, dos custos com o preenchimento de vagas temporárias e demais despesas que estão envolvidas com o absenteísmo, para as empresas, os gastos serão menores. Em contrapartida, a preocupação com a qualidade de vida dos trabalhadores pode aumentar exponencialmente sua capacidade produtiva, agregando valores importantes para que eles ofereçam retorno financeiro.

Quais medidas podem ser tomadas para reduzir o absenteísmo?

Agora já sabemos as principais vantagens de se diminuir o número de faltas no trabalho. Portanto, é hora de entender melhor sobre quais ações podem ser implementadas para reduzir o absenteísmo nas empresas. Confira!

Promova campanhas de vacinação

As vacinas são compostos biológicos ministrados para aumentar a imunidade em relação a determinados tipos de doenças. Dessa forma, utilizá-las para prevenir o acometimento de patologias diversas nos trabalhadores é uma ação bastante útil na diminuição dos problemas de saúde. Em linhas gerais, doenças como a gripe e a hepatite b, por exemplo, podem acometer um trabalhador e se espalhar aos demais com facilidade.

Ainda, é importante lembrar que o ambiente corporativo é composto por uma comunidade de pessoas sujeitas a riscos biológicos e ocupacionais. Diante desse cenário, além de promover a qualidade de vida, uma campanha de vacinação eficiente pode impedir um surto de doenças relacionadas às condições do trabalho, à comunidade e diminuir consideravelmente os casos de absenteísmo.

Ademais, com a devida proteção e manutenção de sua saúde, os colaboradores podem manter a sua produtividade em alta, evitando reflexos negativos na competitividade das empresas.

Ofereça assistência psicológica

Os conflitos em ambientes corporativos são cada vez mais comuns e difíceis de serem evitados. Além disso, o cansaço e o estresse provocado pela rotina de trabalho podem levar a sérios desgastes físicos e emocionais no quadro de trabalhadores de uma organização. Sendo assim, contar com apoio psicológico pode ser muito importante para os colaboradores.

Esse componente da medicina do trabalho tem por objetivo auxiliar a relação entre os empregados, melhorar o clima organizacional, identificar as competências e personalidades de cada um, além de propor ações que resultem em melhores resultados de desempenho dos colaboradores.

Por fim, é importante ressaltar que a depressão e a ansiedade são transtornos que mais causam o afastamento do profissional enfermo. Assim, a presença de uma equipe de profissionais qualificados pode diminuir esse tipo de ocorrência, fortalecer os níveis de satisfação junto aos colaboradores e manter em queda acentuada os índices de absenteísmo.

Desenvolva cursos e oficinas sobre saúde e bem-estar

A saúde do profissional é ponto-chave para sua satisfação e produtividade. Portanto, quando não há palestras, treinamentos, workshops e até mesmo cursos com temas relacionados à alimentação, saúde mental, segurança no trabalho, ergonomia e outros assuntos correlatos, o clima organizacional se torna bastante improdutivo.

Diante disso, além de melhorar a satisfação e o desempenho no trabalho, oferecer esse tipo de atividade pode reduzir os custos com a ausência dos funcionários e diminuir ocorrências de acidentes.

Se por um lado as ausências sobrecarregam os demais membros da equipe e elevam os custos na folha de pagamento, a falta de conscientização para o uso de EPI’s e um trabalho mais seguro pode onerar ainda mais as empresas, além de deixá-las com uma má reputação.

Concluindo, a relação entre absenteísmo e medicina no trabalho é muito forte em todos os setores da empresa. Portanto, fica ainda mais clara a importância de se investir em ações preventivas. Dessa forma, não apenas a taxa de faltas e atrasos vão diminuir, mas vários outros efeitos positivos — de economia à produtividade — podem surgir.

Gostou de saber um pouco mais sobre a relação entre o absenteísmo e a medicina do trabalho? Temas como este estão sempre em pauta em nosso blog e nossas redes sociais. Por isso, o que acha de curtir nossa página no Facebook e ficar por dentro de toda as novidades que compartilhamos por aqui?

Gostou do texto?

Deixe seu email e enviaremos todas as semanas novidades para você!

Confira também

IMPORTANTE: Devido ao grande número de perguntas similares no blog, estamos selecionando as melhores para responder. Sendo assim, sugerimos que você busque a resposta para a sua dúvida nos comentários antes de enviar sua pergunta. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba no seu email tudo sobre segurança no trabalho! Não enviaremos spam!