Afinal, qual é a relação entre medicina do trabalho e home office?

Afinal, qual é a relação entre medicina do trabalho e home office?

Novos modelos de trabalho passam a surgir com as revoluções tecnológicas atuais. Torna-se, assim, necessário observar os novos padrões vigentes, tendências e adequar-se a essas situações inovadoras.

O home office, modalidade de trabalho não-presencial, é uma realidade cada vez mais palpável — essa é uma opção para 55% dos trabalhadores corporativos atuais — e pode representar grandes vantagens para as organizações que adotarem esse sistema, gerando crescimento real para elas.

Porém, como fica a medicina do trabalho nesse processo? Continue lendo e tire suas dúvidas sobre o assunto.

O conceito de home office

O home office (ou “escritório em casa”) diz respeito à modalidade de trabalho na qual o colaborador tem a oportunidade de exercer suas funções fora do ambiente corporativo, não precisando estar presente dentro da empresa no dia a dia.

Essa modalidade pode ser implementada de forma total (ou seja, a pessoa exerce todas as suas funções em casa, sem necessidade de estar no ambiente da empresa) ou parcial (alguns dias determinados da semana há a liberação para que os colaboradores possam atuar em suas residências, garantindo uma maior flexibilidade na rotina laboral).

Também é bastante utilizado quando há contratação de profissionais freelancers para a execução dos trabalhos.

A aplicação da medicina do trabalho no home office

Mesmo com a execução dos trabalhos em casa, quando o colaborador é contratado na modalidade CLT, ele tem todos os direitos garantidos pela legislação trabalhista. Isso implica, também, nos direitos concernentes à medicina do trabalho. Assim, a empresa contratante é responsável por essas questões e deve oferecer todo o suporte necessário.

Isso inclui, até mesmo, o controle da jornada de trabalho, garantindo que ele não exceda o número de horas de execução de atividades, o que compromete não só a legislação trabalhista, mas também a própria saúde do funcionário.

Outro ponto previsto em lei diz respeito aos acidentes de trabalho ocorridos na modalidade home office. Nessas situações, é considerado sim um acidente de trabalho, desde que o problema tenha acontecido durante a execução das atividades e que gere uma redução temporária da capacidade do colaborador. Caso seja provado, o funcionário fica afastado até que os exames do INSS comprovem sua capacidade de voltarem às atividades.

O mesmo ocorre quando, mesmo que não exista o contrato por carteira assinada, mas configura-se vínculo trabalhista. Nesses casos também são assegurados todos os direitos, quando há o reconhecimento dessa situação, devidamente registrado na Justiça do Trabalho.

Assim, o setor de medicina do trabalho deve estar atento para fornecer todo o suporte necessário, bem como realizar todas as exigências trabalhistas para esse fim (como os exames admissionais e periódicos).

Além disso, como a medicina do trabalho não diz respeito apenas às obrigações legislativas exigidas (como os programas PCMSO e PPRA), também é essencial que a organização esteja disposta a cuidar dos seus funcionários, inclusive aqueles que estão em casa ou em outros locais laborais.

Por isso, é essencial que as equipes responsáveis adotem posturas, tais como envio de material constante para seus colaboradores. Isso pode ser feito, por exemplo, por meio de disparo de e-mail ou envio de apostilas com conteúdos que ensinem os funcionários a terem melhores condutas quanto à execução dos trabalhos na modalidade home office.

Por exemplo, pode-se enviar artigos ensinando as melhores posturas para evitar dores de coluna e problemas com dores e lesões por esforço repetitivo, implementando também um ambiente mais ergonômico em casa.

Vantagens e desvantagens do home office

Está avaliando se vale a pena o investimento em home office em seu negócio? Então veja quais são as principais vantagens e desvantagens desse modelo de trabalho.

Vantagens

Conheça as principais vantagens de operar com home office em sua empresa:

Flexibilidade

Uma das principais escolhas pela modalidade home office diz respeito à flexibilidade de trabalho. O colaborador pode organizar sua rotina da forma que melhor convir, desde que atenda aos requisitos da sua função, nos prazos estabelecidos.

Por exemplo, um colaborador pode executar suas atividades fora do horário comercial, desde que as entregas sejam feitas adequadamente, sem comprometer os resultados e prazos da organização.

Isso permite que ele possa fazer outras tarefas em sua vida pessoal que possam agregar positivamente para ele, como atividades físicas, cursos, entre outros.

Maior motivação dos colaboradores

A possibilidade de ter uma melhor organização em sua rotina que permita executar atividades importantes para sua vida pessoal permite que os colaboradores tenham uma maior motivação no seu dia a dia.

Por exemplo, um colaborador que pode voltar a praticar uma luta esportiva se sente mais feliz e consegue se dedicar melhor ao trabalho, conseguindo entregar não só a sua obrigação, mas executando suas funções com melhor qualidade e, em alguns casos, até mesmo estimulando a criatividade, algo extremamente desejável para algumas áreas.

Conforto

Trabalhar em casa é mais confortável para o colaborador. Ele não passa pelo estresse do transporte público (ou congestionamentos), está disponível para o trabalho mais rapidamente, tem fácil acesso a itens importantes para si (por exemplo, pode acessar sua geladeira rapidamente), estando mais tranquilo e motivado para o trabalho.

Desvantagens

Saiba, portanto, quais são as desvantagens de investir em home office para sua organização.

Dificuldade em manter o controle do desempenho diário

Devido ao distanciamento com o colaborador, pode-se ter uma certa dificuldade em manter o controle do desempenho diário. Para as tarefas que sejam feitas online, pode-se utilizar plataformas de tarefas (como o Trello), a fim de acompanhar a realização das etapas do processo produtivo, exigindo assim determinadas adaptações no ambiente empresarial.

Maior risco de vazamento de informações

Empresas que trabalham com informações sigilosas podem ter um maior risco de dados vazados com colaboradores trabalhando em casa. Enquanto estão no ambiente interno, os gestores de TI podem elaborar uma série de mecanismos de controle que possibilitam minimizar os riscos (controle de acesso, bloqueio de sites maliciosos, entre outros), algo que é dificultado quando há colaboradores atuando remotamente.

Dificuldade na comunicação entre colaborador e empresa

A comunicação entre as partes pode ter complicações, principalmente quando há flexibilização da jornada de trabalho. Por exemplo, pode ser necessário uma revisão urgente em um relatório, mas o colaborador está em outra atividade e não pode executar as atividades naquele momento.

Isso pode gerar ruídos significativos nas rotinas produtivas, sendo necessário estabelecer acordos ou jornadas fixas de trabalho para evitar esse tipo de situação.

Assim, torna-se possível saber se o home office é uma boa opção para o modelo de negócio da sua empresa ou se é melhor continuar com as modalidades presenciais, a fim de não perder competitividade e eficiência no mercado.

Quer mais dicas importantes sobre medicina do trabalho e para o crescimento da sua empresa? Assine nossa newsletter e receba artigos importantes diretamente no e-mail.

Gostou do texto?

Deixe seu email e enviaremos todas as semanas novidades para você!

Confira também

IMPORTANTE: Devido ao grande número de perguntas similares no blog, estamos selecionando as melhores para responder. Sendo assim, sugerimos que você busque a resposta para a sua dúvida nos comentários antes de enviar sua pergunta. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba no seu email tudo sobre segurança no trabalho! Não enviaremos spam!